domingo, 30 de outubro de 2011

Dez, oito

Venho informar as senhoras e senhores aqui presentes que a partir de agora, sou realmente responsável por meus atos. Não posso me esconder mais embaixo da saia de minha mãe, tampouco porque ela nem usa muito saias mesmo.
Os Dezoito anos chegaram de uma forma tão rápida que me assustei quando me lembrei que agora todas as portas estarão abertas, todos os lugares são frequentáveis e até a tatuagem que eu sonho em fazer é um sonho bem fácil de realizar.
Parece que não, mas fazer dezoito pesa. O tempo todo um letreiro em neon pisca na minha cabeça : essa é a melhor fase, aproveite-a.
Acho que não sei aproveitar ou não sou como todos os outros.
Um final de semana bom para mim se resume em : namorado, comida boa, passeio de mãos dadas.
90% dos meus amigos precisam beber na sexta, sábado e domingo, para pelo menos terem um fim de semana razoável. Nunca tive um porre. E não vejo possibilidades para que isso aconteça num futuro próximo.
Quero casar (tudo bem, deixa a parte do virgem para lá.) de branco, véu e grinalda, festa grande, 3 filhos cabeludinhos que dão gritinhos quando eu chegar. Sou romântica, não consigo evitar.
Enquanto eu tenho o modelo do meu vestido de noiva guardado numa caixinha, minhas amigas acumulam abadás de festas em que se beija 40 caras e não se sabe o nome de 2.
Ao mesmo tempo que compartilho as músicas e programas das minhas tias de 40 anos, me sinto infantil, com medo de sair de casa para trabalhar e ter um desses chefes que fazem as pessoas terem medo que chegue segunda de manhã. E na sexta pensam : sobrevivi mais uma semana.
Na tal prova do vestibular, enquanto o governo não decide a minha vida e a de mais 5 milhões de coleguinhas, sigo sabendo que passei para meu curso. Só não sei se meu curso é meu mesmo ou é só uma fuga da realidade.
Muitos planos na cabeça, muitos sonhos e muitos medos ainda.
Quero a maioridade da auto-confiança também...mas tudo bem, sei que esse presente não vai dar para ganhar num envelope.

Feliz Aniversário para mim.





( obrigada a todo mundo que entra aqui, mais uma vez. Vocês são os melhores do mundo.)

3 comentários:

  1. Olá, primeira vez que venho aqui. Descobri o blog atravéz do Calmila e quando li esse texto pensei: "nossa, não tenho 18 anos mas ele me lembra muito alguém. Pensei, pensei, pensei e quando me dei conta esse alguém era eu.
    Adorei, e não deixarei de voltar mais. um beijo.

    ResponderExcluir
  2. Também completei 18 esse ano, em Fevereiro, e me identifiquei demais com esse "Dez, oito".

    As diferenças em relação aos outros, a tímida e esmagadora pressão, os medos...

    Não sei quanto á você, mas eu senti que fui atropelado pelas milhares de possibilidades e responsabilidades que surgiam, enquanto eu nem sabia pra onde ir, e muito menos encontrava um guia ou algo parecido.

    Enfim... Parabéns por esse e pelos seus outros textos. Eles são uma delícia!

    ResponderExcluir

Se você tem medo do amor, você tem coragem do quê ?