terça-feira, 15 de julho de 2014

O dia que virei ruiva

Se tem uma coisa que eu acertei na minha vida foi na escolha de pintar o cabelo de vermelho e olha que eu nem me lembro como foi que cheguei nessa decisão, mas me lembro que pintei no dia do meu aniversário de 16 anos e cá estou eu, com 20 primaveras e ainda mantendo madeixas ruivas.

Hoje é dia de post diferente (e prevendo mudanças) no blog. Vou contar minha saga ruiva para auxiliar quem também quer ser uma das garotas beijadas pelo fogo :)



1.  A base do cabelo (não natural) era um 8 (entendendo a tabela de cores aqui
2. Resolvi mudar e corri na primeira farmácia e comprei uma tinta 66.6 qualquer
3. 6.66 desbotada nas pontas e raiz do tamanho de um elefante
4. Escureci o cabelo com o Acaju Púrpura da Koleston (3.66)
5. Resolvi voltar pro ruivo e descolori o cabelo (sim, nessa foto o tom do cabelo é só pó descolorante + ox de 30 volumes, provavelmente.)



6. Após passar o descolorante no cabelo todo, do modo errado (comecei da raiz e quando o cabelo é virgem deve-se começar das pontas) vi que a coisa começou a ficar clara demais, e retirei com uns 10 minutos, por isso ficou aquele tom da foto número 5. Alguns dias depois comprei essa tinta aqui em cima, Garnier Vermelho Cobre 6.46 e mantive ela por muito tempo. Gostando cada vez mais dos tons que
abriam conforme ia desbotando. Estava satisfeita com a tintura, mas como tudo que é bom dura pouco.....




7. e 8.  Um belo dia de retoque de raiz, depois de um bom tempo sem pintar e novamente uma raiz gigante, acho que esqueci a foto da caixinha, o número da tinta e trouxe pra casa um outro vermelho da mesma marca e coleção. (hahahaha! SIM, SOU MALUCA) e quando tirei do cabelo: era um vermelho na altura de um 5, bem fechado e escuro, chorei mil horas. Não tenho fotos do desastre capilar. Essa foto número 7 foi após recorrer a um soap cap (o que é soap cap?)
9. De ínicio, o soap cap resolveu meu problema, mas eu já pensava em mudar, o pó descolorante acabou com minhas pontas e eu resolvi cortar e tive minha primeira experiencia com uma tinta profissional : Usei a Alfaparf 8.4, que escureceu ainda mais o cabelo mas manteve um tom acobreado fechado.


10. Pensa que sosseguei ? Claro que não, eu queria meu laranjinha ''Marina Ruy Barbosa'' e eu ia conseguir.
E CHEGUEI LÁ! Depois de muito bepantol líquido, babosa e cremes diversos, resolvi pesquisar aqui em Belo Horizonte as tintas profissionais e cheguei na Italy 8T. Novamente descolori e apliquei a tinta com uma ox.de 30vl. Nessa foto com o celular, a tinta já estava desbotando e ai eu conheci o grupo Amor Acobreado no facebook e pesquisando muito, resolvi testar outra tinta (burrice!)

11. Dessa vez sem descolorir, apenas a raiz de uns 3 dedos, apliquei a Majirel 7.4 com a ox de 30 volumes e diferente das meninas do grupo: detestei. A tinta saiu muito fácil, não ficou da cor que eu queria e eu me sentia uma loira que deu errado. Por isso comprei o tonalizante 7/43 da Color Touch e apliquei com creme. (foto 12.)




13. Já estava decidida a deixar de ser ruiva porque sinceramente meu cabelo mudou muito depois disso tudo e foi ai que mais uma vez no Amor Acobreado descobri a Nay Dall e a Lily Gouveia que me incentivaram a fazer uma última tentativa, dessa vez com algo natural : A Henna. (mas não essas Hennas de farmácia, a planta mesmo) e nesse post conto como fiz para chegar na cor da foto 13 só usando produtos naturais.
  

Nenhum comentário:

Postar um comentário

Se você tem medo do amor, você tem coragem do quê ?