segunda-feira, 21 de fevereiro de 2011

Real Love.

Eu era uma menina de 11 anos, chegando a um lugar novo, aonde o máximo de pessoas no meu dia-a-dia eram meus pais e avós. Deus, acredito eu, sabendo que sem você eu não aguentaria passar por um final de infância e um começo adolescência bem conturbados, me mandou você.
Da paz que você me proporciona, eu entendia desde o começo, pois não foram poucas as vezes que busquei e ainda busco solução para minhas loucuras, no teu sorriso. Seus elogios, são diferentes de qualquer um, afinal você me conhece tão melhor que muita gente que me vê toda hora e todo dia.
As dúvidas sobre qualquer assunto, quando as conto para você, deixam de ser dúvidas e me impressiono com tamanha facilidade em me dar os melhores conselhos e entender meus problemas.
É engraçado hoje em dia, ler meus diários da época em que a gente se conheceu e ver como eu era tão imatura e menina, sem você.
Se existe alguém no mundo que merece que eu agradeça por eu ter chegado até aqui sem pirar, esse alguém é você.
Sobre proteção, falo pouco, afinal está claro (e as vezes até chato, não é ?) minha vontade de te proteger, te acolher dos maus do mundo e te abraçar todo dia, te lembrando que meu amor por você, ainda que eu ame todas as minhas amigas, não se compara a nenhuma delas, você é parte de mim.
Estive pensando que te desejar feliz aniversário, feliz ano novo e feliz natal, ficou meio clichê, afinal, é só olhar nos meus olhos que tu vai entender que o que eu te desejo não é só um dia ou um ano feliz, mas sim, uma vida ou mil vidas cheias de amor, felicidade e muita luz, afinal é esse o teu legado, levar luz as outras pessoas, eu sou uma delas.
Ainda que a gente more numa distância menor que 20 passos, mesmo assim, a rotina e a correria dos dias, faz com que a gente não se fale alguns dias, mas, o amor só cresce e a cada vez que temos uns minutinhos para contar as novidades, eu tenho certeza que te chamar de melhor amiga, foi a melhor escolha que fiz.

Ainda que seja clichê : Feliz Aniversário, eu amo muito você.


Para Amanda Chagas, a melhor parte de mim.

Para ler ouvindo : Real Love - Jack Johnson

quarta-feira, 2 de fevereiro de 2011

Stop

Não sei se alguém tem tanta dificuldade em aceitar alguns fatos como eu, desistir das pessoas é um deles, com isso, sempre fico com aquele gostinho do medo, medo de ser chata, infantil ou imatura.
Bom, talvez se eu direcionasse toda essa força que faço pra insistir na gente, para os meus estudos, eu seria a melhor filha do mundo e uma aluna exemplar. Mas não é assim.
Aceitamos qualquer conseqüência dos nossos atos e os meus me fizeram chegar ao ponto de ver você se apagando em mim, sem poder questionar. Até o corpo já sabe o que o que o coração teima em esconder.
Todos temos direito de uma boa mudança para alimentar as esperanças de um ano novinho em folha, só que as pessoas esquecem de avisar quando elas mudam para pior.
Mesmo sendo eu a rainha "drama-sentimental", estive pensando que as pessoas tem mesmo razão quando dizem da tua sorte ao ter me encontrado, pois me orgulho do título, mesmo que tenha sido ele que nos trouxe até aqui.
Concordo contigo que acabar não significa que não foi especial, acabar só significa que uma das partes, não se importa mais em ser.
Sei da minha falta de credibilidade em desistir, pois são alguns bons meses desistindo e voltando atrás, mas desta vez o diferencial é que você não é mais o mesmo e eu olhei pra dentro e vi um vazio que a muito não me acolhia no seguro de não querer ninguém.
Eu sabia que implorar amor era pecado, daqueles mais feios, contra o amor-próprio, mas resolvi tentar e chega ao fim hoje a era do "please, will you still love me."
Aprendi que castigo por implorar é mais profundo que o já esperado desdenho, ele vem acompanhado de se sentir num eterno repeat, e a mesma música diversas vezes faz com que a gente tome preguiça dela, dei stop antes que um de nós jogasse o cd todo no lixo.
Tudo bem, não tenho a pretensão de te esquecer de hoje em diante e olhar pra ti como se nada tivesse acontecido, só fico feliz em já poder olhar e conseguir ver um passado gostoso e não um presente mal resolvido, sem futuro, com fim já anunciado.
Quanto a você, continue bem a vontade, mas desejo que consiga me ver também como uma lembrança feliz e não como mais uma ameaça de passado revirado.
Se eu aprendi a voar com você, hoje só me resta bater asas.



Para ler ouvindo : JOHN MAYER - DAUGHTERS