segunda-feira, 29 de abril de 2013

Verbos e despedidas.


Em todos os momentos o amor acaba. O nosso - tão fugaz e intenso - terminou naquele seu olhar de manhã. Não sei o que você pensou, não sei o que eu disse, não sei se foi uma palavra mal dita, um cheiro diferente, um beijo esquecido. Ali, o amor acabou.
O amor, sim, o amor, sublime e contraditório. Difícil e simples, doce e dor.
Eu amei você, amei sim, amei porque amor é um abraço, um aperto no peito, um sorriso, um coração pulsando.
Eu te amei quando você disse que seu depois do amor nunca foi como o nosso, te amei nas suas chegadas afobadas e nas tuas saídas dolorosas. Te amei no banho corrido, no primeiro ônibus só e no sorriso aberto.
Pirei por você. Pirei quando você disse não saber se era amor, pirei quando chorei como nunca ao imaginar outra deitada na sua cama, pirei quando passei a noite lendo nossas conversas. Pirei quando aquela menina que você sabe que eu detesto, veio jogando verde, como quem diz : ''eu te avisei''.
Morri algumas vezes do seu lado, sem você notar. Morri um pouquinho, como se morre todos os dias, com todos os nãos da vida, mas eu queria acreditar. Devia ser você, você dizia que era você.
Ontem, depois que você me excluiu da sua vida, mesmo dizendo antes que se eu fizesse isso, você ia ficar aqui na porta, até eu sair, lembra ?
Promessas são lindas só no momento que se acredita nelas.
Pois é, ontem, depois que você ouviu meu grito de dor e resolveu ir embora de vez, eu corri pro meu melhor amigo, e chorei o maior choro do mundo, chorei pela nossa morte, chorei minha esperança, por ter acreditado de novo em vão, chorei pela minha mãe me perguntando de você e por meus amigos querendo saber se eu não tinha mesmo feito algo pra você me tratar tão assim. Chorei e disse, entre soluços :
- Eu só me meto em roubadas.
E ele, tão perto e simples, me disse :
- Você é só amor e acredita que todo mundo é só amor também. Você não tá errada, ia ser perfeito, mas os caras não tem tempo de te descobrir completa e encanam e fogem. Ele sentiu medo, ele provavelmente nunca recebeu tanto amor e não soube lidar com isso. Preferiu fugir antes que se machucasse e pra isso, precisou matar você.

Pensei, fazia sentido.
Eu, tão inocente e sensível, fui até pedir desculpas, outro dia, quando ainda era tudo bom e leve, pra'quele cara que te contei que me ajudou, que eu tentei namorar e não consegui. Fui pedir desculpas pensando ''todo mundo merece sentir isso que estou sentindo.'' Torcendo pra ele também sentir isso por alguém, pois eu seria um pouco culpada caso ele não mais acreditasse no amor e isso eu não quero representar nunca, pra ninguém.
Todos os meus dramas, que você fez questão de gritar que eram o motivo da sua frieza corrosiva, eram uma maneira de te avisar pra tomar cuidado pra não me perder, já que você dizia temer tanto isso...
Agora, no chão frio, com o colo de alguns bons amigos pra contar, umas lembranças a me perseguir, me levanto e vou embora, a dor ainda dói muito, pode ser que algumas vezes eu ainda te ligue, esperando ouvir sua voz arrependida, e não me culpo por isso. Não me culpo por nada.
Desculpa o auê, eu não posso, não consigo e não quero ser só uma amiga, pra mim não dá. ''Não rola''.
Mas um dia, assim, se der, lembra de mim com um sorriso bonito, eu vou tentar fazer o mesmo por você.



Mas no amor, acredite, porque cê sabe né, o amor cura....



segunda-feira, 22 de abril de 2013

Pausa para um pouco de dor.


Tem um texto bonito da Bernardi que diz : ''Somos um livro de citações''. Pois é, fiquei pensando um tempo nessa frase e conclui : sou um livro de palavras mal escritas, de uma inocência apodrecida, de medo, insegurança. Mas eu amei - de forma certa ou errada - todas as pessoas que passaram pela minha vida. Sem dar tempo para dizer, mas sem banalizar, afinal, todas as vezes que eu disse um ''eu te amo'', mesmo quando, bem, você sabe ''você não me conhece o suficiente para saber se é isso que quer...e eu idem'' mesmo assim, os meus ''eu te amo'' saíram gritados, de um peito doído mas pingando esperança. Não me arrependo.
Algumas pessoas me dizem que vêem o amor estampado em mim, mesmo quando eu (ainda) digo que ele não me faz companhia. Eu acho que de todas as pessoas e coisas que amei na vida, tudo que eu tenho e mais amo é o próprio amor.
Eu só queria que me aceitassem inteira, por isso, me dava fácil de bandeja. Bobagem. É por sempre ser legal que ouço : ''eu não quero machucar você.''  E necessito da aprovação de todos, me imaginando e fantasiando dos piores monstros, só por medo de ser odiada.
Penso muitas coisas ruins, mas a risada de um amigo ou o abraço sincero de alguém, me lembram quem eu sou.

-  Só que as vezes, eu só queria ir embora, não ser eu. Sumir.
- Então some.
- Ei, será que o amor existe ?
- Existe sim. Eu só não sei se é o que eu sinto por você.


Nocaute.


quinta-feira, 11 de abril de 2013

Mi casa, su casa


O vizinho da casa verde olhava meio desconfiado, a menina que ele nunca viu, com chave na mão e abrindo o portão da sua casa. Eu levei uns minutos rindo, imaginando o que ele pensava, torcendo para ele achar que eu morava ali com você. John Mayer, ficou me fazendo companhia enquanto eu esperava você voltar do trabalho, deitada no sofá e pela primeira vez na vida me sentindo mulher de alguém. Eu queria ser vista ali, intima, sua.
Tirei a calça jeans que incomodava e vesti o shortinho do pijama que havia trago na bolsa, coque no cabelo e fui ver se as besteirinhas que você deixou pra mim na cozinha ainda estavam lá. A pia tava meio bagunçada, denunciando o tempo que te tomo no dia-a-dia, resolvi arrumar, rindo, pela caracteristica de união estável que tínhamos adquirido com uma semana de namoro. Arriscado ? Não pra nós dois.
Deitei na tua cama para esperar você chegar e só acordei com o barulho da chave na porta. Você me olhava lindo, feliz. Tomou um banho rápido e pulou em mim, como naquela cena de Closer.
Chico tocava músicas aleatórias e eu estava no único lugar no mundo que eu queria estar.
Nosso amor se resolve depois do amor, quando a gente acha o mundo - mesmo com todas as suas esquinas - um lugar lindo.
Quando você colocou aquela música fofinha e leve pra tocar, eu enfileirei todos os meus exs e disse a cada um deles que você era o meu primeiro namorado de verdade.
É você quem me conhece longe da saia da minha mãe, é você quem me faz tirar a sandália para calçar o seu chinelo, vestir sua camisa e ficar só com isso, pela casa. De todos os caras, você foi o único que findou meus medos e ouviu minha vida, sem titubear. E eu luto contra tudo para te fazer feliz.
Domingo, deitada no seu sofá, com a cópia da sua chave no bolso, eu entendi que crescer até dói sim, mas quando a gente tem um amor, compensa.
Depois de tantas histórias cheias de fantasias e mentiras, você chegou banhando meu futuro de paz e mostrando uma vida real que não precisa da minha capacidade de embelezar tudo, você já o faz.
Obrigada por salvar esse coração romântico.
Que nosso namoro seja repleto de noites de sábado com amor e domingos repletos de paz.
Obrigada pelo ombro e pelo abrigo.



quinta-feira, 4 de abril de 2013

Vendo coragem no Amor


Sempre achei ridículo quem faz tatuagem para namorado, e ainda acho gravar o nome de alguém na pele, algo muito sério. Mas a nossa história veio gravada em mim e acho que nem você imagina como ''Ter fé e ver coragem no amor.''  hoje representa você na minha vida.

Eu precisei de 4 dias para me apaixonar por você. Mas paixão mesmo, paixão de todo mundo ver escrito na minha testa, de querer abraçar o mundo, desejar amor para todos, abraçar meus inimigos, perdoar quem me feriu. Eu acredito de novo. E eu tenho fé em mim, na gente, na paz, no amor. Eu sou boa, lindo, você me trouxe essa certeza de novo, você, sem saber, lutou com um por um dos meus medos. Eu quero ser vida pra você. Para a gente. Eu quero nossas noites juntos, eu quero cada surpresa que nosso namoro pode trazer, eu quero acordar todos os dias e lembrar que é real, eu quero entrar na internet e ver um monte desses recadinhos teus, eu quero imaginar cada passo seu com ansiedade quando você diz ''linda, tô chegando''
Eu te contei meus medos como quem conta que vai a padaria, você continuou me olhando com carinho, e me disse tudo que eu queria ouvir. Eu te dedico o meu renascimento, o meu melhor, todos os meus sorrisos, os meu melhores beijos.
Eu te desejei desde o primeiro segundo, eu não preciso fazer nenhum esforço para querer você, eu amo quando você me chama de ''minha linda'' , eu amo quando chega uma mensagem sua, eu amo muito quando você chega na minha casa para me buscar com aquele sorriso. Eu amo muito quando você faz cara de vergonha e cobre o rosto. Eu confio em todas as suas palavras, porque você me transformou de novo numa menininha e eu estava cansada de ser adulta demais,  e você sabe que pelo meu histórico de ''Seu fulano e suas três mulheres'' o quanto isso era difícil para eu acreditar. E você conseguiu isso em questão de dias.
Nossa história começou como aqueles romances engraçados que a gente vê no cinema, que alguém tenta boicotar, e você me disse : o mundo tá ao nosso favor.

Eu quero a vida do seu lado, eu amo quem eu sou quando estou com você
Esse é o maior elogio que eu posso fazer a um homem.

Eu quero ser o motivo para esse sorriso lindo enquanto o nosso pra sempre durar. Sim, é uma forma de dizer aquilo que eu tenho medo.
Fica pra sempre lindo e obrigada por me trazer de volta a mim.

O amor existe, gente. Ele me mandou avisar.

Agradeço ao Chile por te mandar pra mim e digo, que lamento por ele, mas não te devolvo nunca mais.

Te quiero,

sua Nêga.