terça-feira, 11 de dezembro de 2012

Eu adoro uma encrenca


Mulher adora uma encrenca.
Encontrei minha melhor amiga e de longe vi você, destacado no meio da multidão. Dois beijinhos no rosto e aquela constatação que todo mundo faz. Seguimos para o nosso destino.
Não teríamos outra oportunidade, era ali e pronto. Sem tchau nem bilhete.
Dei uma olhada em volta, pensei quanto tempo levaria para fugir, caso a menina do coração gigante tomasse conta de mim, de vez. E me sentei. Tudo começou, eu te olhava meio orgulhosa de te conhecer e meio com vergonha de estar ali, eu nunca tinha feito isso. Eu odiava quem fazia isso. E eu sabia que ia fazer.
E fui eu quem fiz, tomada pela maior quantidade de piriguetismo que já vivi, deixei clara minhas intenções. Consegui o que eu imaginava a tanto tempo. E gostei do que aconteceu : mais uma vez, eu conseguia o cara que eu queria, acima de qualquer situação.
Uma adolescente cheia de traumas quanto a sua aparência, quando se torna uma jovem bonita, é um grande perigo.
Eu fechava os olhos e via todas as minhas amigas gritando na minha cara : Não faça isso, vá embora, ainda dá tempo.
Mas não fui.
Claustrofobiquei umas 5 vezes, mas não deixei você notar, para você, eu sou só uma menina normal.
Mas ai, você estragou tudo, você ficou fofo, não era o que eu esperava. A gente ficou junto, de namoradinho, no meio de todo mundo. Eu não me aguentei.
Me trata mal, cara. Fala alguma besteira no meu ouvido.
Saímos no meio daquela multidão e você fez a única coisa que não podia ter feito, você me deu a mão. Pelo amor de Deus, você não sabe o que dar a mão e andar junto no claro significa pra mim.
Homens bonitos e interessantes mexem comigo. Minha carne é fraca.
Meia hora de insanidade foram suficientes para eu resolver o que eu iria fazer dali em diante. Em meio ao teu convite, o destino gritou SIM e eu me vi indo ao teu encontro mais uma vez.
Passei na casa de uma grande amiga, contei meu drama e ela me aconselhou : vive, isso não vai mudar nada entre eles. Eu fui.
Você veio lindo ao meu encontro, a cidade dormia e a gente ria engraçado no meu bairro favorito da cidade que você ia deixar dali dois dias. O porteiro foi fofo e eu me senti menos pior. Subimos.
Não foi nada parecido com ''Meu nome é Adriana e eu faço o que você quiser.''. Não tinha nada de surfistinha nesse dia. Era eu, mulher, decidida e a espécie mais odiada por todas as namoradas : a gostosinha fatal. Eu faria o que eu quisesse, sem pudores, sem limites, sem futuro.
'' Esse aqui é o meu quarto até quarta''
Eu avisei que não havia muito tempo e tudo começou, meus medos, um por um, me olhavam e incrédulos esperavam que a gente terminasse, sentados no pé da sua cama.
Roupas e pudores no chão, beijos nas costas, meia luz, melhor do que eu esperava. Mas ainda assim, eu me comparava a ela, que eu nem conheço. E me comparava a mim, que eu antes conhecia.
A luz foi acesa, a gente ficou um tempo conversando bobagens, como dois amigos que acabaram de fazer uma besteira. Eu juntei minhas roupas e fui embora.
Dei tchau pro porteiro fofo e você riu, dizendo que ele sabia o que a gente havia feito porque entrei arrumada e sai descabelada e feliz. Eu gostei que ele soubesse.
Soltei algumas das minhas frases bomba e você me confessou ali, quem você era, eu aceitando ou não.
A gente se despediu pra sempre e minha amiga, a única que não gritava para eu parar, quando a gente se beijava, me deu colo. Eu tinha crescido de vez.
Pela primeira vez na vida, não olhei para trás.
Alguns dias depois, você foi para o seu sonho e eu percebi que a gente nunca voltaria a se falar. E fiquei feliz com isso, mesmo que ainda me cutuque com um tal ciume, o teu sorriso feliz ao lado da sua dona, mas não te quero para mim.


Eu também sei ser má.


segunda-feira, 12 de novembro de 2012

Falando pra ele

Antes de Ler o texto, eu recomento que você ouça :





Ouvi Cícero pela primeira vez no começo desse ano e logo também ouvi o CD novo da Mallu Magalhães e, veja você, eu nasci tão romântica que quando ouço uma música linda como essas, eu me sinto na obrigação de estar apaixonada, mas na época eu ficava com um rapaz legal do cursinho que não me fazia sentir muito coisa e o pouco que eu me esforçava para sentir acabou quando descobri que ele escrevia ''com migo'' e passei a sentar no lado oposto da sala. Engavetei Cícero e Mallu para um futuro e o ano passou com um mantra repetido todo dia ''não se apaixone''. Funcionou.
Até um amigo inventar um churrasco com piscinas de plástico, frases para tatuagem e pagodes da década de 90.
Eu nem reparei em você de cara, com outros olhos, eu te disse, não foi só tesão.
Os dias correndo e você ali sem saber de nada e me fazendo te procurar para papear sempre que entrava na internet. E a coisa começou a acontecer quando te peguei olhando com carinho pro noss, ops... pra mim.
Mas o click mesmo, a graça de tudo, foi quando fui te contando, quase sem perceber, com piada e leveza, mais uma das minhas neuras bizarras de meses atrás.

'' Fala pra ele o que nunca falou pra ninguém.''

Foi ai que pensei em te querer pra mim, pra sempre, pra enquanto o meu sempre durar.
E sem perguntar se eu preferia açucar ou adoçante ou se eu tinha alguma zona de conforto, você entrou.
Agora são 5 da manhã, Mallu canta no meu ouvido e você, mesmo de longe e dormindo, me olha e pede para eu ir com calma, te dar tempo, me dar paz, a coisa que eu menos sei fazer na vida. Você quer balão e eu sou foguete. Quando você olha, BUM, eu já subi.
 '' Fala pra ele que a vida é um balão e pra cuidar do teu coração...''

Entra de novo, ouve essa música, eu sou o teu balão.
- A Mallu concorda, o moreno que olha com carinho tem que ser você.-

Desculpa o caos, mas eu querer te dedicar Cícero e Mallu é demais para eu não me apaixonar.


'' E eu penso tanto em desistir, mas no final não da em nada...''

terça-feira, 2 de outubro de 2012

E olha que nem gosto



Tudo começou quando eu vi uma foto sua no finado orkut, apesar de te achar lindo-incrível-charmoso e o mistério em forma de homem, não imaginava que dois anos depois, estaria ainda escrevendo sobre você. Ainda ouvindo John Mayer e te colocando no maior de todos os pedestais : o do meu desejo.
Eu espero com todas as minhas forças que você não leia ou descubra esse texto.
Talvez isso só esteja latejando tanto nesses últimos tempos, porque não tenho quase nada para fazer, enlouqueci um pouco, sabe ?
Larguei tudo, quebrei coisas, quis morrer várias vezes, achei que ia virar um monstro e esquecer quem eu era e pensei coisas que nunca tinha pensado na vida. Chorei muito e agora, acho que virei gente, já não deixo ninguém escolher por mim, não tenho medo de onibus, encontrei a melhor amiga do mundo e quase morri de verdade. Resolvi que vou seguir meus sonhos, daqui 15 dias vou entrar num avião e não converso mais tanto com os outros, nem me apego bizarramente na asa dos meus pais. Ou estou tentando fazer isso tudo. E nenhuma dessas coisas interessam a você.
As vezes, de quando em quando, eu visto minha fantasia de garota de aluguel e fujo com você, oferecendo meu corpo, para ver se consigo te ter um pouco perto da alma. O sexo continua sendo nossa única ponte um para o outro e ninguém pode suspeitar disso.
Eu vou fazer 19 anos, e ainda amo você, com todos os contornos malucos que isso pode ter, eu amo você demais. Eu passei por um cara louco que tinha três mulheres e sofri achando que amava ele, mas quando eu lembrava de nós, eu ria das minhas lágrimas por ele, eu briguei com uma garota que nem conheço por causa desse cara e eu nem gostava dele, eu só queria que ele fosse você, por isso comecei aquela idiotice toda. E um dia você, com a cara mais lavada do mundo, riu de mim, dizendo que eu era engraçada, porque brigava com a menina, tentando enganar a mim, a ele e a ela, eu amava era você. Já tive outras paixões, o menino dos cachinhos, os 400 meninos de barba e olhares misteriosos que se parecem você, nos lugares que eu vou, mas nada se compara a alegria de uma mensagem sua chegando. Existem caras mais lindo, inteligentes e engraçados, mas é você quem eu amo.
Errei outra vez agora, tentei me enganar de novo, em outro namoro, mas quem queria paixão de mim, eu só conseguia entregar amizade.
Eu agradeço todos os dias por ter virado mulher nas tuas mãos e independente de todas as patadas e loucuras que você fizer, eu amo você, nunca esquece isso.

E olha que nem gosto.

Esse vídeo sou eu e você, hoje.
'' Hoje eu falei, pra mim, jurei até que essa não seria pra você. E agora é ! ''

E um dia vai ser esse aqui, cê vai ver


'' Pacientes à beira da morte, reparem que sorte: a gente voltou''

sábado, 14 de julho de 2012

Olá, eu te amo, Adeus.




É terrível, me perdoe pela racionalidade, mas é sempre assim :
- Oi.
- Eu amo você.
- Precisamos conversar.

terça-feira, 26 de junho de 2012

Um esbarro


Eu já tinha decidido que não ia mais querer você, afinal, você tem outra e nunca cogitou largar ela pra ficar comigo. Eu caí na noite pra te matar dentro de mim. Agora eu sou assim, curo meus problemas do coração na noite, lembra ? Você sabia aonde eu ia, correu pra lá e me esperou duas horas numa escada fria.
Quando eu te vi, não sabia se corria, se ria, se te beijava. Era você nascendo de novo, afirmando pra mim que não dava mais pra fugir, eu era você também.
Trocamos algumas palavras e você me deu a mão, pela primeira vez, você me deu a mão e todo mundo por perto, achava que eramos só mais um casal de namorados. Mas eu sou o teu veneno, a tua cruz, a tua mentira. O lugar era lindo, a banda que a gente amava e você me beijava os cabelos e repetia como se quisesse me fazer acreditar : ''você não sabe o poder que você tem.''
Eu não podia ficar ali, você é de outra, eu sei bem. Te deixei ali com seus amigos e fui ver o show lá da frente. Tocou nossa música e um cara chegou em mim, você viu de longe, riu. E a sua falta de ciúme foi uma faca entrando devagar na minha pele. Eu queria era que você chegasse lá, me puxasse e falasse pro cara que eu tava com você, eu era tua. E você rindo, me vendo cortar ele, eu era tua, você sabia.
Voltei pra perto de você e suas investidas me matavam, os beijos no pescoço, a mão na cintura, eu amo tanto as tuas mãos...mas não, você é de outra, é difícil dizer, mas é.
Eu cantava no teu ouvido que '' o tempo vai ter que esperar...''  e você ria engraçado, dizendo que todas aquelas músicas eram a gente. E eu não aguentava mais ser forte, eu queria você em mim. Mas fugi, fui me sentar longe de você e quando penso que não, você vem atrás, com suas mil caras de sempre e sua risada que grita ''você é tão minha e sabe disso.''
Quase esquecemos o show e fomos falar sobre a gente, você tava meio bêbado e começou a devanear sobre ligar pra ela para poder ficar comigo sem culpa, eu ri desacreditada enquanto por dentro subia no último andar do edifício da esperança. Eu sei que é mentira.
Ficamos abraçados, vendo o fim do show e as vezes eu dava meus gritinhos e levantava esbaforida, numa música que eu gostava mais e você levantava pra me carregar e rodopiar, me fazendo agarrar seu cachinhos. Foi lindo, a gente era o casal mais lindo que não se beijava. E acho que ninguém nem notava isso.
Teve aquela hora também, que a gente quase esqueceu que tinha acabado e começou a fazer nossa brincadeira de beijo ao inverso e um pouquinho antes de você chegar ao objetivo, eu te lembrei que você era de outra. Ao vivo somos parceiros, engraçados, leves. Conversando nas redes sociais, somos frios, chatos e você se lembra bem que não é meu, não tenta me conquistar e eu penso que só faz isso ao vivo, porque meu sorriso te perturba.
Fim do show, era hora de ir embora, e eu te disse que nossa história acaba ali e você, mesmo sabendo que eu tinha razão, tentava argumentar, dizer que você não queria aquilo e tudo estava muito instável e as coisas podiam virar pra nós. Agora a verdade é só uma, você está apostando suas fichas em outra pessoa. Sua máquina de prêmios e sorrisos não sou eu. Te dei o maior abraço do mundo e desci as escadas que você me esperou, você disse que não era o fim. Eu fui embora feliz, porque um dia a gente se encontra, quem sabe, você solteiro, eu completa.
Um outro dia, a gente se esbarra pela vida e talvez eu seja sua aposta, seu desejo e você largue o mundo pra deixar eu te cuidar. Por enquanto, eu fico aqui, porque tem muita gente boa no mundo, não é ?
Seja feliz.

Indique um filme.



O link para download do filme Closer- Perto Demais. Vale a pena, mudou a minha vida, pode mudar a sua

Closer - Perto Demais

sexta-feira, 22 de junho de 2012

Eu, uma doença chata e os melhores amigos do mundo.

Entre medos, angústias, remédios e loucuras, a única coisa que me fazia encolher os ombros e chorar, nesses 6 anos achando que tinha uma doença horrível, era achar que estava perdendo minha vida pra ela. Perdendo a graça, a juventude, o tempo. Hoje, por mil e uma pessoas incríveis que meu destino ganhou de presente, eu sei que não.
Pois bem, eu morei a vida inteira com minha mãe e boa parte da minha família materna, numa casa só, e talvez por isso, ser filha única não me fez ser mala, chata e egocêntrica (só as vezes, vai...)
Mas aos 11 anos, por voltas e revoltas da vida, vim morar com meu pai, uma pré-adolescente morando com dois idosos de 80 anos e um cara descolado-engraçado-desligado e pai. A mudança não demorou a fazer efeito em mim, virei mocinha (detesto essa metáfora) e comecei a dar defeito pra sair de casa. Minha mãe veio morar com a gente e pronto, a coisa saiu do controle, não queria ir pra aula, ia e voltava, chorava, um circo. Mil médicos visitados, ''essa menina é preguiçosa, não gosta de estudar'', mas essa frase não condizia com a mesma menina que ganhava bilhetinhos do colégio parabenizando por ser a melhor aluna da classe, antes dessa fase ruim. Nenhum médico descobriu o que eu tinha e fui indicada a procurar um psiquiatra.
Psiquiatra tem o lema de não te deixar sair do consultório sem tomar pelo menos um antidepressivo. No meu caso, ganhei também um ansiolítico de brinde. Tomando o remédio direitinho e visitando minha psicóloga, fui levando a vida...umas crises aqui, outras ali, mas a coisa fluía bem.
Até ano passado, que num misto de virose, gastro enterite e crise de pânico, fiquei mal, muito mal. Já pensava que hora aquilo ia acabar e eu ia poder descansar em paz, pra sempre, mesmo não acreditando que a morte não é o fim, só que a coisa tava tão ruim, que morrer era melhor.
A coisa melhorou um pouco, com o passar dos dias e marcamos uma consulta com um médico daqueles que da até gosto pagar, um alemão com sotaque forte e apaixonante. Love you, dr Schwambach. 
Um milhão de exames pedidos e no retorno, ele me explica : '' Olha, menina, tenho duas notícias pra você, a primeira é que eu posso te ajudar e você nunca teve síndrome do pânico. A segunda é que o remédio que você tomou esse tempo todo não ajudou em nada e você vai ter que sofrer o desmame.''
A doença em questão se chama Hipoglicemia Reativa, que é meu pâncreas produzindo insulina demais, o que provoca desanimo, suor frio, tremedeira, vazio na cabeça, coração palpitando e medo. Os principais sintomas de uma síndrome do pânico. O tratamento ? evitar doces e carboidratos e fazer atividade física. Simples !
Citei meus amigos no título, porque todo dia alguém querido vem me dar forças para fazer o desmame do remédio que tomei esse tempo todo e sei que quando chegar ao fim, vai ser dificil, pois é uma abstinencia de droga. Mas são tantos recados lindos, tanto carinho, tanta gente me puxando pra cima, lembrando minhas qualidades e momentos bons, que quase não há medo nenhum. Muita gente aqui do blog também, me procurando pra desejar força e dizer que reza por mim. Obrigada, do fundo do meu coração.
A minha dica é : espero que vocês nunca precisem de um psiquiatra, mas caso aconteça, antes dos remédios, façam tudo que for possível para não precisar. Yoga, pilates, relaxamento, reza, oração, psicoterapia...e em último caso, se for necessário mesmo, tome sabendo que é só uma ajuda, não uma muleta.

Abaixo segue um link explicando melhor a semelhança da HP com depressão ou sindrome do pânico, para quem se interessar, boa sorte a todos e obrigada sempre.

Depressão Mascarada, Hipoglicemia Reativa.




quarta-feira, 6 de junho de 2012

Me deixem solteira

Eu odeio o dia dos namorados e nem é por causa de algum recalque pretencioso de passar um dia a mais sozinha, como se isso fosse humilhante. Como se a sociedade, minha família, meus amigos e todo mundo esperassem só isso de mim : que eu tivesse alguém com quem passar o dia dos namorados. Não por esse motivo.
Eu odeio o dia dos namorados porque é perto dele que as meninas de chapinha ensebada e ''tattoo'' da moda, que frequentam a rave ou micareta do momento ficam mais carentes e começam a pipocar de todos os lugares procurando alguém que possa colocar ''namorando'' numa rede social qualquer.
Eu odeio o dia dos namorados porque os ''playbas'' moderninhos de cabelo espetado e que ''treinam'' na academia caem nas armadilhas das meninas das micaretas e viram o grande amor um da vida do outro, até que venha o próximo, no mês que vem.
Eu odeio o dia dos namorados também, porque os casais toscos e que não se respeitam ao longo do ano, resolvem trocar presentes e esquecem que beijaram outras bocas quando prometiam fidelidade.
Compromisso não é usar um anel, compromisso não é marcar no facebook, compromisso não é transar toda semana. Compromisso é respeito, é querer ficar junto, é não olhar pro lado porque nada mais pode ser melhor que o seu amor.
Me deixem solteira até que apareça o louco do 1% do time dos homens que não vai se assustar com meu recente pavor de compromissos, que não vai perder o encanto quando eu me mostrar não-misteriosa, não me venha com beijos vazios, eu tomei preguiça de começos, talvez por isso tenha voltado pro meu relacionamento sem fim.
Eu que sempre tive pavor de ficar sozinha, me viro muito bem sem ninguém, renasci das cinzas, fugi dos meus medos e estou aqui, solteira, completa e minha.
Não me venham com caras cafonas e nem que querem morar em mim, sem conhecer a minha arquitetura, só a decoração. Não deixem que chegem perto aqueles babacas que gostam de mentir porque me acharam mulher demais pra eles.
Me deixem solteira, me deixem sonhar.

quarta-feira, 23 de maio de 2012

O encontro aconteceu.

Essa história começa quase no fim do ano passado, quando de algum lugar da internet, vem a melhor notícia que eu podia receber :
'' 2012 é ano de turnê do Los Hermanos.''    E ainda melhor, a turnê passará por Belo Horizonte.
Me lembro de na hora ligar para alguém que na época ainda era o meu último romance, para dividir tamanha alegria. Minha banda favorita voltava aos palcos, na minha cidade.
Algum tempo de ansiedade, lágrimas sofridas de um relacionamento regado de mentiras e o consolo : 2012 é ano de turnê do Los Hermanos.
Pois bem, os ingressos começavam a ser vendidos na internet dia 16 de janeiro. Cliques a postos, fãs enlouquecidos, 00h, o site trava um pouco, porém por fim consigo meu ingresso :
19 de Maio de 2012, com todo potencial para ser um dos melhores dias da minha vida.
Vários fãs ficam sem ingresso, fila imensa na porta do Chevrolett Hall, horas em pé para milhares de Hermaniacos. E eu já havia garantido o meu, era bom demais para ser verdade.
Começa a contagem regressiva, outro show incrível é anunciado para Belo Horizonte, um aquecimento :
Gravação do dvd de Marcelo Camelo, num show mais intimista. Chega o dia, mais um ingresso adquirido e o show é melhor do que o esperado. Consigo entrar no camarim. (clique aqui para ver o vídeo com essa história)

Porém, mesmo depois de conhecer o Marcelo e constatar que ele é um cara incrível, simpático e antencioso com os fãs, mantenho minha adoração imensa por Rodrigo Amarante, precisava vê-lo no palco, suas danças, carinhas e gemidos de uhhh-ahhh.

O ano ficava cada vez mais apertado, problemas com o passado sentimental, problemas com o emocional carregado por pressões do vestibular e da vida, meus panes psicológicos. Desesperador imaginar ir a um show lotado, como esse prometia ser, uma claustrofobia quase irracional. Me lembro de estar num desses shoppings de BH, numa véspera de Dia das Mães e ficar aflita com a quantidade de gente, precisava sair dali. Como ia encarar um show, com muito mais gente pulando, gritando, se acotovelando ''UH É LOS HERMANOS''
O medo não foi suficiente para me deter, graças a Deus.

Milhares de coisas para fazer no sábado, ainda sem saber quem iria me fazer companhia no show ( todos os meus amigos iriam no domingo.) Mas eu iria, seja qual fosse o problema, era o Rodrigo ali, eu precisava ouvir ele cantando ao vivo.
A hora foi chegando, companhia resolvida, cabelo arrumado, maquiagem pronta. Porta do show : Será que eu consigo ? Faltavam 5 minutos para o show começar e eu lá fora ''Será que eu consigo ?''
Subi as escadas devagar, era motivo de honra estar ali.
Entrei e vi aquele caldeirão cheio de gente, confesso fiquei alguns minutos pensando que iria ''claustrofobicar'' e sair correndo. Enquanto penso coisas que não devia pensar, um amigo me acha.
Descemos as escadas e nos enfiamos no meio do povo. Melhor tirar uma foto logo :
- Tira uma foto para mim ?
Me viro de costas para o palco e sorrio. No mesmo instante o povo começa a gritar. São eles ! Viro sem lembrar de foto nenhuma e vejo, alguns metros de mim (ok, eu não estava tão perto) lindo, com uma blusa azul-royal, o homem mais charmoso dos últimos tempos da música brasileira. Rodrigo Amarante. Alguns tchauzinhos, agradecimento do público enlouqucido, Adriana alucinada, arrepiada, sonhando.
( Veja aqui ) Começam os primeiros acordes e a música escolhida para abrir o primeiro show nas Minas Gerais é O Vencedor, o povo vai a loucura. Na minha cabeça só passava : Com certeza eu fico até o fim.
Aplausos, gritos. ''Amarante lindo'' e começa uma das minha preferidas, primeira vez que vou ouvir a voz de Rodrigo ao vivo. '' Iaia, se eu peco é na vontade, de ter um amor de verdade...''    Era bom demais tudo aquilo, será que era sonho ?
Acho que não, os videos e fotos confirmam, eu estava lá. Uma caracteristica minha é pensar o tempo todo ''Será que tô sonhando ? '' toda vez que estou feliz demais. Jogava a cabeça para trás e gritava. Checava o celular, ainda queria encontrar a minha companhia, desencanei depois que percebi o desencontro total, era ali o show da minha vida.

 

Muitas emoções ainda reservada para a noite, cada música que eu ouço que foi tocada no show, me lembro dos meus gritinhos, minhas lembranças. Mesmo que eu fizesse o melhor texto do mundo, não chegaria aos pés de estar ali, vendo aquilo ao vivo, a emoção do povo, o coração pulando junto.
Quase perdi a voz quando Rodrigo falou : '' Eu gosto é do estrago. ''   Não importava mais quem tava perto, a loucura, o medo. Era eu, eles e mais milhares de pessoas apaixonadas vibrando junto.
Começa Casa Pré-Fabricada e eu só consigo gritar : '' É minha favorita, é minha favorita.''  Como se alguém ali se importasse. Linda, simplesmente linda.
Mas o melhor estava preparado para o final, depois de tocar praticamente todas as músicas que eu queria (tudo bem, faltou Bom Dia) e um bônus lindo com uma nova do Rodrigo, anunciam o fim do show e saem do palco. E o povo começa os gritos de BIS ! MAIS UMA ! PIERROT !
Eles voltam, começam os acordes de Anna Julia, um toque especial, tentando acabar com o preconceito que alguns fãs tem com a música, e lembrar que talvez sem ela, eles nem estariam aqui hoje. ( Sola Camelo!!!) E chega a vez de Quem Sabe, Rodrigo resolve descer do palco e ir para a galera, não adiantava nem eu me mexer para tentar chegar lá, mas eu só conseguia fazer força com o pensamento, talvez o amor de fã me teletransportasse para lá, só para tocar nele. Muitos gritos, eu estava perplexa.
Volta ao palco, começa Pierrot, o povo vai mais uma vez a loucura, a arena se acende. A coisa mais linda.
'' E essa menina não quer mais saber de mal me quer, só do Pierrot........CHORA.......Pierrot......CHORA.''
Veja Quem Sabe & Pierrot aqui. 

Não sei definir em palavras o que o dia 19 representou na minha vida, só consigo dizer que provavelmente não vou esquecer dele tão cedo. Foi Maravilhoso e eu desejo a vocês que passem pelo menos um show desse na vida de vocês.

'' Ter fé e ver coragem no amor.''






segunda-feira, 30 de abril de 2012

Sobre a loucura ou a distância.

Esse texto talvez seja um erro, mais uma das minhas loucuras ou o jeito de te afastar ainda mais. Como se 124 kilômetros não fossem suficientes.
Quem me acompanha, agora, deve pensar que sou louca, afinal na minha última escrita afirmei que minha vida sentimental não existia. Na verdade ela existe, mas ai com você.
É loucura ? Sim, a maior loucura de todas. E é pior ainda porque você nem sequer acredita nela.
Talvez eu goste mesmo assim, protegida por um computador e um telefone, protegida dos meus medos e de ser feliz demais. E se eu estivesse ai, você ia ser feliz comigo?
A gente se conheceu numa loucura, não foi ? E a gente achou que saberia levar tudo isso. Talvez você saiba, mas eu não sou adulta o suficiente para brincar assim.
Talvez eu tenha inventado tudo isso na cabeça porque você entende meus medos e me encoraja a enfrenta-los de cabeça erguida, mas não como todo mundo faz. Conhecendo-os de verdade.
Nas minhas crises em que eu acho que vou morrer a qualquer momento, ultimamente tenho pensado em pedir para não morrer sem ver você. Olhando pra cima, cabelo no olho, sorriso na boca, depois cantando pra mim, a música de despedida. Talvez sejamos apenas despedida, do começo ao fim.
Mas eu acredito viu ? Acredito sim, e o pior que quase consigo ficar para te fazer acreditar também. Talvez eu fique.
Você também acha que somos parecidos ? Sofremos, quase morremos de amor, caimos e tivemos que levantar sozinhos. Superamos de diferentes maneiras. Eu nem sei mais se acredito no amor, mas tento olhar para você com carinho, pode ser que aconteça.
Eu tento levar leve, você tenta não racionalizar demais. Aonde você é só razão, eu sou a voz no teu ouvido que diz :
- Me dê a mão. Eu fico.




Feliz Aniversário.


Maybe I just want to breathe
Maybe I just don't believe
Maybe you're the same as me.
Escrevi enquanto ouvia : Live Forever - Oasis



quarta-feira, 25 de abril de 2012

Back !

Queridos seguidores,
primeiro devo pedir desculpas por meu desaparecimento aqui do blog, na verdade, a vida de pré-vestibulando é pior do que eu imaginava e não param de aumentar as dúvidas, os pesos, as pressões, as horas de estudo e tudo mais. E eu nem estou certa do que vou fazer ainda.
Enfim, apesar disso tudo, sinto falta dos e-mails, comentários e de tudo relacionado aos ''meus leitores'' (olha que metida)
Não tenho tido nem tempo, nem paciência, nem animo de escrever textos sentimentais, afinal minha vida sentimental quase não existe mais. E eu nem estou reclamando, viu ?
Então, acho que nosso espaço vai mudar um pouco e conto com vocês para saber o que gostariam de ver aqui ?
Comentem, mandem e-mail, me falem na página do facebook.

Quem manda aqui são vocês.

Um beijo grande, Amiga de Clarice !

terça-feira, 3 de abril de 2012

Sr. Monstro

Descobrir uma traição é como apagar algo com corretivo, penso eu, o papel pode até ficar marcado para sempre, mas ninguém consegue mais ver o que há por baixo, apaga tudo junto. Até mesmo o que existiu de verdade, passa a não existir. Quem dirá no nosso caso, mentindo desde o primeiro ''não'' . O pior erro do infiel é não se contentar com um prato e querer logo o buffet todo. Mas olha, Sr Monstro, devo te dar parabéns, em apenas um ano, você conseguiu o título de maior babaca de todos os tempos na vida de duas mulheres. E na vida de duas mulheres bacanas, sabia ? 
Foi bom, apesar de tudo, descobrir que foi tudo mentira, que seus choros não valiam uma nota de três reais e suas palavras nada mais eram do que parte do seu teatro de marionetes.
Sabe, Sr Monstro, eu até te sinto. Te sinto de tantas maneiras, Monstro. Te sinto em forma de mágoa, de nostalgia-do-não-vidido, de risada, de fumaça, de prazer, de ódio. Às vezes, te sinto sem saber. No meio da aula de Física, no último gole de alguma bebida que você me ensinou a tomar, na gargalhada. Só te sinto, Monstro. E isso, talvez, seja mais forte do que o - usado, destruído e sujo - amor. Te sinto com arrependimento por ter achado que era, de fato, o tal amor.
E no final das contas, eu realmente vou me lembrar de você enquanto eu respirar, como o cara que não me merece nem como inimiga. Sinto muito por você ter que conviver com você mesmo, todos os dias, já deve ser castigo suficiente pelo mal que me causou.


Não mudo, não mudo e você por favor, mudo.

sexta-feira, 16 de março de 2012

Último

Deve ter uns dois meses que voltei  para terapia e acho engraçado dizer ‘’voltei para terapia ‘’ porque isso me faz lembrar que fiquei anos indo à terapeuta e eu só tenho 18 anos e se você parar para pensar, talvez eu ficasse pior, se não tivesse ido.
Bom, enlouqueci um pouco, depois de acreditar demais no que eu nunca havia acreditado tanto e como pais normais do século XXI, os meus decidiram :
- Volta para a terapia.
E hoje, depois de uma sessão, passei a entender algumas coisas, porque se você nunca fez terapia, eu te conto : o método é tão egocêntrico que você perdoa todo mundo que te fez mal, porque passa a achar que o erro foi seu. E funciona, porque ao invés de culpar o outro, você tenta melhorar quem você é.
Então parei de querer jogar em você, à culpa por eu não me conter e ter medo de ir embora, de te deixar me perder para sempre, de um dia te ver na rua e não sentir meu mundo sumir, mas cheguei a conclusão que isso já não acontece mais, nem se eu me colocar numa bolha de ar, para ficar longe das suas mentiras . É uma pena, eu teria amado você, para sempre, talvez.
Não me culpo mais por ter voltado atrás tantas vezes, ter traído gente que não sei dos valores, defeitos, qualidades. Mesmo sem virar ex-mostro, virei um monstro de ex. Um fantasma, uma história não findada.
Pari meu ponto final.
Não me procure, não mande mensagens, e-mails, muito menos apareça aqui. Não queira saber da minha vida, como não mais quero saber da sua. Não largue sua nova garota por dizer que ‘’o relacionamento não dá certo porque não gosto dela como gosto de você’’ e nem faça os outros pensarem que não sabe do que estou falando.
Não se preocupe em inventar mentiras, em esconder telefonemas e apagar as mensagens. Eu sumi, virei pó, lembrança, passado. Dessa vez, morto e enterrado. Não te quero mais.
Nossa história, que eu pensei ser sem fim, já começou fadada à morte. Na sua primeira mentira, você me condenou ao passado. E o que eu tinha dito que dava para esquecer, não dá. Eu mereço mais, eu espero mais. Não posso voltar atrás numa história que nunca aconteceu fora dos meus sonhos.
Farei o possível para morrer na sua vida, para que não tenhas notícias minhas, para que nunca sofra um terço do que passei com a sua ausência. Espero que a lei do retorno falhe dessa vez e que não passe nunca por isso, que nunca ame alguém com muita força e comece a se ver obrigado a matar essa pessoa, dia-a-dia, descobrindo, em buscas ridículas, todas as mentiras deslavadas.
E que da próxima vez, você não tente se lembrar enquanto respirar, mas tente respeitar enquanto achar que exite amor. E não apague nenhuma chama, acreditando em sua capacidade de se reacender.
Peço que leve tudo isso como um sonho. E a gente acaba de acordar.

Até nunca mais.

segunda-feira, 27 de fevereiro de 2012

Espelho

São 3 da manhã, deitada no escuro analiso os últimos dias, quanta mudança. Meu cérebro pede papel e caneta. Preciso falar de você.
Me lembro de como a gente se conheceu e no nosso primeiro papo, cada história vinha seguida de um : '' nossa, como você se parece comigo.''
A dor nos fez irmãs e em pouco tempo, tenho certeza que Deus nos uniu para uma lembrar a outra, caso necessário, que mesmo depois da morte interna de tanta coisa bonita, estamos aqui, vivas, fortes e bem.
Agradeço principalmente o teu carinho, o teu sorriso e tua razão, pois quando reafirmo minhas dores e medos, olhar para você do meu lado é quase um alívio imediato. Você chegou na hora certa, me deu a mão para renascermos e cuidou de mim. Continue cuidando, acreditando e amando. Prometo te lembrar sempre que precisar a mulher forte e guerreira que és. Que ninguém, nunca mais, atravesse nosso caminho e nos faça nem por um minuto duvidar de quem somos.
Obrigada por fazer uma tarde comum se transformar em carnaval e transformar um carnaval em história.
Se eu soubesse que todas as coisas difíceis que passei iam nos fazer parir essa amizade tão forte e sincera, eu passaria por tudo de novo.


Me dê a mão e lembre que a gente existe sim e se encontrou. É tudo que importa.

Eu amo você !


Para Karla Skackauskas 

quinta-feira, 23 de fevereiro de 2012

Mudanças !

Recebi um e-mail de uma pessoa que não conheço, mas que por causa dessas loucuras da vida, mesmo sem eu conhecer, me conhece muito bem e em meio as mentiras de sempre, me disseram que agora pareço mais mulher, olha só que ironia, eu que já fui ''a única menina'', agora sou mulher. E sabe o que é mais louco disso tudo ? Eu sou mais mulher mesmo. Mas não por causa do desamor que vivi ou das mentiras que descobri pouco a pouco.
Sou mais mulher hoje, porque descobri que vilões não existem só na TV e o melhor disso tudo : me levantei sozinha, um pouco mais desacreditada, um pouco mais cautelosa, mas ainda eu.
Não deixem de me acompanhar porque provavelmente aqui não será mais palco de histórias de amor mirabolantes, nem sonhos impossíveis ou vida cor-de-rosa. Eu aprendi que pessoas não se importam, então é melhor que você se importe.
Eu sempre tive medo de voltar a ser a garota certa que nunca é na hora certa, mas agora descobri que a hora certa quem quer faz.

Não tenho mais medo de voar porque descobri que não preciso das asas de ninguém junto comigo.
Eu ainda posso ser a menina engraçada, eu ainda posso ser a menina doce, eu ainda posso ser a menina romântica, mas daqui pra frente, quem escolhe qual entra em cena, sou eu e mais ninguém.

Eu não deixei de sentir porque cai, eu não deixei de acreditar porque mentiram pra mim, eu não apodreci porque me quebraram o coração.
Pela primeira vez na vida, sinto carinho sem medo de sentir dor, recebo beijos sem medo do amanhã e não ouço promessas.


Não quero promessas !



Obrigada por me encontrar.

terça-feira, 14 de fevereiro de 2012

O resto é teu.

Eu não faço a menor ideia do porque sinto tudo que sinto -falta-, se mesmo depois de tantas dores e tantas mentiras, tanto desprezo e tanta despedida, você é o primeiro e o último pensamento do meu dia. Acho engraçado me lembrar de quando sofria no passado, cheguei para você como um filhote de passarinho, precisando de carinho, cuidado e calor. Achava que já havia sofrido o suficiente por um vida toda, havia acabado de sair de um relacionamento com um cara eternamente grávido de si mesmo. Quem saí a procura de amor, só encontra encrenca, não é ?
Me sinto como se tivesse enterrado uma pessoa querida, afinal, fora as coisas que deduzo com minhas ferramentas de busca por você, não sei mais nada de ti. Fora o fato que você já tem outro colo quente pra se aninhar, que eu descobri numa busca exagerada por algum vestígio teu.
Começo a mudar e -quase- me torno uma garota normal, mas não dá pra ser, não dá pra esquecer aquelas aventuras atrás das portas e aqueles banhos em que a gente ria e se achava o casal mais sortudo do mundo.
Me pego, várias vezes, passando nosso namoro a limpo, mentalmente e me perguntando em que momento deixei de ser o seu amor. Me assusto mortalmente ao pensar em todas as possibilidades que vem com isso, não ser mais o teu amor já é doloroso demais.
Será que você só precisava mesmo das minhas desculpas pra viver feliz ? Será que o choro foi por alívio em saber que eu te perdoei e não por saudade ?
Será mesmo que pensar em enfrentar o mundo, a vida e todos os meus conhecidos por você é ser louca demais ? Eu toparia te dar a mão e matar todos os monstros que estão nas nossas cabeças - e vidas- para ter você aqui de novo.
Então eu olho pra mim e vejo o que restou, a casca, de novo.
Peço, com o que resta de coragem em mim, pra que não cumpra sua promessa em deixar aqui o que restou da gente, já é doloroso demais ter que olhar pra tudo sem isso.
Enquanto você acha prepotência se colocar no meu presente, eu vejo tudo isso regado de esperança demais. Eu sempre tive problemas demais com essa palavrinha : esperança.

'' Foi um errado que deu certo e o certo acabou dando errado.''


Sem nenhum medo de parecer burra ou iludida, eu digo : Eu amo você, como amei todos aquelas tardes e noites de sorriso e aquelas manhãs indo acordar você com um ''bom dia, amor.''
Isso é tudo.


Não há novos e-mails em sua caixa de entrada. Sentimos muito, Adriana.



quarta-feira, 1 de fevereiro de 2012

Verdade

Sempre que tínhamos nossas diferenças, me incomodava sua sinceridade, teu jeito de me dizer : não te quero hoje.
Foi necessário que a vida me mostrasse que palavras bonitas, qualquer pessoa diz. Ontem pra ela, hoje pra mim, amanhã pra outra. A roleta da mentira. O amor eterno de uma semana.  
Com a gente não, sempre foi tudo preto no branco, me perdoe o trocadilho infame, sendo você assim, tão da cor do pecado e eu, tua branca de neve.
Nunca tivemos mentiras, me lembro daquela vez que a luz acabou e eu fiquei sentada na grama olhando você e chorando, pois você nunca fez questão de mentir pra me ''privar'' de sofrer.
Quantas milhares de tentativas nós já tivemos ? Quantas vezes olhei pra você e sabia que nunca mais ia te sentir de novo ? 
Mas a vida dá tantas voltas, não é ? 
O mesmo destino que eu jurava ter me roubado de você pra sempre, me cuspiu de novo na sua vida. Quase que dizendo : 
- Ele não te fez nada, olhe pra mim, veja quantas mentiras... veja a mentira que dói e não a verdade que ofende.

O teu único crime, naquela época, foi não me querer. Ainda ouço você me dizendo que nós dois juntos, éramos a moral da história. 
Somos uma história sem fim, mas somos verdade. 

E depois de tantas mentiras, tantas falsas esperanças, eu olho pra você e vejo você sorrir, me dizendo que vai ser sempre a minha verdade. E da verdade, ninguém foge.


Não fugirei.


segunda-feira, 2 de janeiro de 2012

A Nossa Manhã Seguinte

Comecei o Ano Novo certa de que você iria me ligar para desejar um feliz 2012. Afinal, eu havia sido a melhor coisa do seu 2011, não é ?
Meia noite, fogos de artifício, abraços, votos de bom ano e nenhuma ligação, nenhuma SMS sua. E eu só pensando em te dizer que meu amor continuava aqui. Intacto.
O primeiro dia do ano passou sem nem um sinal teu. Só depois, muito tarde, vi você dizendo por ai, que ''nunca havia falado que era um santo.'' Eu nunca quis um santo, eu quis você.
Me deitei e peguei aquele livro que a gente leu junto e combinou de sublinhar as partes que mais faziam sentido para nós. Eu sabia que o golpe podia ser duro, mas nunca fui de fugir de dor.
Uma ou outra frase sublinhada por mim e saltadas de laranja, as minhas sentenças : o que você destacou.
A coisa começou a pesar, quando a crônica da vez, que você havia gostado, levava o título de ''Eu não abro mão.'' Contraditório, pensei comigo.
Mas ainda assim, o rosto continuava seco, não havia derramado uma lágrima sequer no ano novinho em folha. E como quem quer zombar da minha esperança, bati o olho numa crônica que começava assim :

'' Sei lá o que me dá, se é medo do futuro, preguiça de regar o nosso convívio ou alguma crise existencial vaivém. Mas precisei ficar só. O que eu menos queria era ver você aborrecida e temida quanto as coisas que eu sinto. Só faria me sentir pior e mais impotente. No duro, pediria sua ajuda se soubesse o motivo, mas sou homem e não vejo necessidade de divagar sentimentalismos e fraquezas. Basta você saber que não saiu do pensamento um só minuto. Mas hoje, preciso de você. "


Essa parte, na época, você não sublinhou, você deixou para marcar na mesma crônica, aquela parte que dizia para eu não dar bola para o menino bobo que havia em você e sim dar a mão para o homem e leva-lo aonde eu quisesse.
E como você me conhece bem, já deve imaginar que nessa altura as lágrimas deixavam meu rosto maior que de costume. Porém, teimosa feito uma mula, não parei por ali.
Até que cheguei aonde meus olhos não acreditavam no que viam, não era possível você ter marcado aquilo numa época tão linda e leve para nós. Não fazia sentido. Porém, ali, saltando aos meus olhos, com a cor que você escolheu para diferenciar suas marcações das minhas, cinco palavras formavam uma frase assustadora pra mim :

'' Só homens terminam com reticências.''


Era demais para mim, eu havia recorrido ao livro para te sentir por perto e ele esfregava na minha cara que realmente era isso ? Três pontinhos porque uma história tão intensa não terminaria de uma vez só, apenas com um, por isso você resolveu colocar mais dois de garantia ?
Num choro descontrolado, que me obrigava a matar o restinho de esperança que eu ainda conservava, mesmo depois de te ouvir dizer que acreditava numa volta, só não sabia quando...fechei o livro, sentindo um aperto terrível no peito, foi quando vi na última página que você havia escrito bem pequeno:
- " Enquanto eu respirar."






Livro citado : A manhã seguinte sempre chega - Gabito Nunes

Gaste mais tempo amando.

"A vida começa todos os dias."
É bem verdade, Veríssimo. 


Na verdade, eu sempre nadei num mar aberto de esperança, principalmente quando o assunto era o amor, e principalmente por isso, meus km rodados chorando sejam tantos. 
2011 não foi nem de longe o melhor ano da minha vida. E não tenho vergonha em dizer isso. Porém, mesmo achando que pra pessoas como eu - esperançosas além da conta -  acreditar nem sempre seja uma boa maneira de começar um ano, eu desafio as lágrimas do ano que passou e digo : eu acredito.
Me lembro de ter começado o ano passado pedindo para acreditar e confiar mais em mim, acho que fui atendida. Afinal, de todas as pessoas que conheci em 2011, a que eu mais gostei fui eu mesma.
Não me despeço de 2011 magoada com ninguém. Afinal, eu sei que querer nem sempre é poder gostar.
Ainda assim, peço desculpas a todos aqueles que quiseram me magoar e ofender, afinal, quando um ''presente'' não é aceito, ele fica com quem enviou. Sendo assim, obrigada também aqueles que não aceitaram o meu amor.
Acima de todos os clichês de ano novo, que ao menos uma coisa mude pra melhor, dentro de cada um de nós. 
Abro mão de pedir até um amor, coisa que era o item número um das minhas listas. Se eu não deixar de acreditar nele nos próximos 365 dias, mesmo com tantos tombos da vida, já me dou por satisfeita.



PS : ás vezes recebo uns recadinhos no meu formspring e emails no amigadeclarice@gmail.com de queridos que sentem falta deu indicar uma música para ouvir enquanto lê o texto novo. 
Então, ai vai uma música que usei pra escrever dois texto por aqui, de um cantor lindo, talentoso e além de tudo muito simpático que eu tive o prazer de conhecer pessoalmente em 2010.

You love to save your love for love...spend more time loving."
Story of a Man - Tiago Iorc