segunda-feira, 2 de janeiro de 2012

A Nossa Manhã Seguinte

Comecei o Ano Novo certa de que você iria me ligar para desejar um feliz 2012. Afinal, eu havia sido a melhor coisa do seu 2011, não é ?
Meia noite, fogos de artifício, abraços, votos de bom ano e nenhuma ligação, nenhuma SMS sua. E eu só pensando em te dizer que meu amor continuava aqui. Intacto.
O primeiro dia do ano passou sem nem um sinal teu. Só depois, muito tarde, vi você dizendo por ai, que ''nunca havia falado que era um santo.'' Eu nunca quis um santo, eu quis você.
Me deitei e peguei aquele livro que a gente leu junto e combinou de sublinhar as partes que mais faziam sentido para nós. Eu sabia que o golpe podia ser duro, mas nunca fui de fugir de dor.
Uma ou outra frase sublinhada por mim e saltadas de laranja, as minhas sentenças : o que você destacou.
A coisa começou a pesar, quando a crônica da vez, que você havia gostado, levava o título de ''Eu não abro mão.'' Contraditório, pensei comigo.
Mas ainda assim, o rosto continuava seco, não havia derramado uma lágrima sequer no ano novinho em folha. E como quem quer zombar da minha esperança, bati o olho numa crônica que começava assim :

'' Sei lá o que me dá, se é medo do futuro, preguiça de regar o nosso convívio ou alguma crise existencial vaivém. Mas precisei ficar só. O que eu menos queria era ver você aborrecida e temida quanto as coisas que eu sinto. Só faria me sentir pior e mais impotente. No duro, pediria sua ajuda se soubesse o motivo, mas sou homem e não vejo necessidade de divagar sentimentalismos e fraquezas. Basta você saber que não saiu do pensamento um só minuto. Mas hoje, preciso de você. "


Essa parte, na época, você não sublinhou, você deixou para marcar na mesma crônica, aquela parte que dizia para eu não dar bola para o menino bobo que havia em você e sim dar a mão para o homem e leva-lo aonde eu quisesse.
E como você me conhece bem, já deve imaginar que nessa altura as lágrimas deixavam meu rosto maior que de costume. Porém, teimosa feito uma mula, não parei por ali.
Até que cheguei aonde meus olhos não acreditavam no que viam, não era possível você ter marcado aquilo numa época tão linda e leve para nós. Não fazia sentido. Porém, ali, saltando aos meus olhos, com a cor que você escolheu para diferenciar suas marcações das minhas, cinco palavras formavam uma frase assustadora pra mim :

'' Só homens terminam com reticências.''


Era demais para mim, eu havia recorrido ao livro para te sentir por perto e ele esfregava na minha cara que realmente era isso ? Três pontinhos porque uma história tão intensa não terminaria de uma vez só, apenas com um, por isso você resolveu colocar mais dois de garantia ?
Num choro descontrolado, que me obrigava a matar o restinho de esperança que eu ainda conservava, mesmo depois de te ouvir dizer que acreditava numa volta, só não sabia quando...fechei o livro, sentindo um aperto terrível no peito, foi quando vi na última página que você havia escrito bem pequeno:
- " Enquanto eu respirar."






Livro citado : A manhã seguinte sempre chega - Gabito Nunes

Gaste mais tempo amando.

"A vida começa todos os dias."
É bem verdade, Veríssimo. 


Na verdade, eu sempre nadei num mar aberto de esperança, principalmente quando o assunto era o amor, e principalmente por isso, meus km rodados chorando sejam tantos. 
2011 não foi nem de longe o melhor ano da minha vida. E não tenho vergonha em dizer isso. Porém, mesmo achando que pra pessoas como eu - esperançosas além da conta -  acreditar nem sempre seja uma boa maneira de começar um ano, eu desafio as lágrimas do ano que passou e digo : eu acredito.
Me lembro de ter começado o ano passado pedindo para acreditar e confiar mais em mim, acho que fui atendida. Afinal, de todas as pessoas que conheci em 2011, a que eu mais gostei fui eu mesma.
Não me despeço de 2011 magoada com ninguém. Afinal, eu sei que querer nem sempre é poder gostar.
Ainda assim, peço desculpas a todos aqueles que quiseram me magoar e ofender, afinal, quando um ''presente'' não é aceito, ele fica com quem enviou. Sendo assim, obrigada também aqueles que não aceitaram o meu amor.
Acima de todos os clichês de ano novo, que ao menos uma coisa mude pra melhor, dentro de cada um de nós. 
Abro mão de pedir até um amor, coisa que era o item número um das minhas listas. Se eu não deixar de acreditar nele nos próximos 365 dias, mesmo com tantos tombos da vida, já me dou por satisfeita.



PS : ás vezes recebo uns recadinhos no meu formspring e emails no amigadeclarice@gmail.com de queridos que sentem falta deu indicar uma música para ouvir enquanto lê o texto novo. 
Então, ai vai uma música que usei pra escrever dois texto por aqui, de um cantor lindo, talentoso e além de tudo muito simpático que eu tive o prazer de conhecer pessoalmente em 2010.

You love to save your love for love...spend more time loving."
Story of a Man - Tiago Iorc