terça-feira, 9 de novembro de 2010

Âncora de tentativas

Tivemos duas crises no nosso relacionamento ( olho para essa palavra : relacionamento e vejo que a uso pela primeira vez sem aspas, na tentativa de acreditar que de fato temos um.) e na noite anterior a estas duas crises escrevi um texto pra ti, e por causa desta infeliz coincidência normalmente eu ficaria com medo de pegar papel e caneta para falar mais de você, porque talvez no dia seguinte você poderia ir embora de novo, só que dessa vez, não senti nada, afinal o gosto do fim ainda não sumiu e a saudade mesmo com você por perto, ainda não passou. Como posso ter medo de perder algo que nem voltou para as minhas mãos ?
Tudo bem, você deve estar pensando que eu mesma aceitei que fosse assim, só corpo, sem sentimentos e mesmo sabendo que iria continuar gostando de você, te quis assim. As alternativas na minha frente eram só prazer ou te ver longe e minha escolha não teve nada de falta de amor-próprio, só que pra não te perder como sempre, engoli o romantismo e tentei aceitar na nossa volta, qualquer tipo de condição para estar do teu lado e cansada de ficar longe, prometi que minha parte mulherzinha ficaria em segundo plano e eu ia ser mais do que só uma menininha sentimental, pra você.
Acho que temos um problema : penso que você, assim como eu, tem tendência a se apaixonar por quem liga a mínima para você e ai está : eu ligo o máximo. E ligando muito, me preocupando e querendo você, sinto que só te afasto, e assim, sem entender os porques (ou entendendo demais) comecei a pensar se era válido tentar por nós. Com esses pensamentos despertei meu orgulho batendo na mesma tecla de que se você quiser realmente, demonstrar não é tão complicado. Pensei demais e começou a acontecer o que eu temia, eu comecei a desistir.
O problema, que você me conheceu tua demais e não sabe que quando eu desisto de algo, me refaço, e não queria isso, não queria esquecer tudo.
Se por um momento, eu visse nos teus olhos uma chama de esperança em me querer também, como eu via antes daquele tempo de falta, eu juro que lutaria. Bastava você querer um pouco.
Já parou para pensar que sou menina e sinto falta de carinho de homem ? Do homem que busquei e encontrei em você.
Não coloque culpa na essência, pois nem cogito a possibilidade de querer te mudar, pois foi o teu olhar que me encantou, lembra ?
Te aceitei e te quis com todos os teus pronomes, sujeitos, artigos e substantivos. E pra mim, só quis um verbo : QUERER.
Bom, se você chegou até aqui e não teve vontade de me abraçar para mostrar que também me quer, eu entendo, só não me peça para transformar meu sentimento em um amor de amigo, para ficar por perto, não por enquanto. Se o teu humor não muda ao me imaginar nos braços de outro, se a vontade de me beijar não te faz me querer as vezes do teu lado e se principalmente você não se importa em abrir mão de mim, acho que chegou a hora do tal de meu conformismo chegar.
Ainda acredito (ou quero acreditar) que dentro de você, assim como de mim, alguma parte lembra das horas que a gente se contava no telefone, do ciúme disfarçado em piada e dos sábados de saudade misturada com desejo e carinho. Não me deixa desistir, intercepte minha fuga e mostre que me quer também, que vale a pena lutar. Não quero ir, mas remar sozinha cansa.
Não consigo simplesmente me sentar no barco de nós dois, esperando a maré do destino levar a gente para algum lugar, quando a única paisagem que importa é o teu rosto olhando para mim e na realidade o que eu vejo é você tentando sair do barco, preso por algo que mesmo agradecendo, não sei o que é, queria tanto descobrir que esse algo é o fundinho do teu coração dizendo que eu mexo com ele.
Espero realmente que essa tentativa de salvamento não chegue até você como uma corrente de pressão e sim como uma ponta de esperança que insiste em não apagar e que você perceba que mesmo com intensidades tão opostas, existe um meio do nosso desejo se completar e nos satisfazer. Não desista, não desisto.

Para ler ouvindo : Tolêrancia da Ana Carolina.

" Pra falar de tolerância e acabar com essa distância entre nós dois..."

12 comentários:

  1. Lindo texto!!!
    Incrível como li e percebi que estou passando pela mesma coisa e a música Tolerância é a música que sempre considerei como minha e dele, ou melhor, pra ele!
    Seguindo!

    ResponderExcluir
  2. Bacana o texto! Vai representar mta coisa p/ mta gente, tenho ctza!

    ResponderExcluir
  3. Realmente falou de mim esse texto, passei e talvez ainda esteja passando por isso também, mas agora sou forte. :D (mentira, só finjo que sou :/ hihi)
    Adorei seu blog! :)
    sigo! :*

    ResponderExcluir
  4. Gostei muito do seu texto ,como sempre mas está faltando outros onde estão ?

    ResponderExcluir
  5. achei esse texto mt parecido comigo, mas nos papéis invertidos. acho que agora eu entendi um pouco como ele deve se sentir me vendo assim, do lado dele mas com a mente tão longe. presente só em corpo, mas não em pensamento e alma. ;99

    mt lindo o texto, parabéns.

    ResponderExcluir
  6. 'afinal o gosto do fim ainda não sumiu e a saudade mesmo com você por perto, ainda não passou.'
    Não tenho nem palavras.
    Lindo, Drika!
    bjs

    ResponderExcluir
  7. Beeem, eu nem tenho o que dizer. Muito lindo, mais um lindo uaheuaheuahe

    ResponderExcluir
  8. É lendo textos assim q percebo q não to sozinha..q todo mundo tem um barco desse!Enfim,parebens pelo texto! ;)

    ResponderExcluir
  9. Muito real. Estou passando por isso nesse exato momento. Buscando meu orgulho e lutando contra o que eu sinto.Estou me afastando quando eu queria estar perto. E dói pensar que a outra pessoa não sente que está perdendo.Não dá a mínima pra situação que estamos. Sou um homem que amou muito, mostrei isso, e talvez a superconfiança nela a afogou em dúvidas. Esses problemas de amor e tentativas não são só teus, mulheres. Eu só quis o QUERER também. Mas nem isso me foi dado completamente. A distância complicou essa situação. Hoje estamos(eu estou) esperando a hora do retorno dela. Quem sabe como vai ser? O que acontecerá até lá? Como agiremos até lá? Perguntas que não tem respostas... por um longo tempo.

    Muito bom esse seu desabafo. Gostaria de ter essa fluidez nas palavras para descrever o que eu sinto.
    Esse dilema de amor e rejeição obrigada.

    Sinto a mesma coisa aqui.Boa sorte pra você e que tudo dê certo nesse seu relacionamento.

    ResponderExcluir
  10. Terminei um relacionamento de 2 anos e alguns meses há pouco tempo. Nunca tinha sentido algo parecido por ninguém, e alguma coisa me dizia que a recíproca era verdadeira. Só que chegamos em um determinado ponto que eu sabia que tava perdendo ele pouco a pouco, e isso me matava. Eu ali do lado, sabendo que tava acabando. Foi aí que resolvi acabar de vez com toda dor, porém nós brigamos feio, ele disse coisas pra mim que eu jamais imaginaria que fosse ouvir dele, e depois, como se não bastasse ele ficou esfregando a sua felicidade na minha cara. Já fazem 2 semanas que nós terminamos, não tenho notícia nenhuma dele, só essa saudade que ficou. Meus amigos já não aguentam mais nenhuma palavra, eu tô tendo que guardar pra mim... Até que eu li esse seu texto e me identifiquei do início ao fim. Cada linha dessa é uma parte do que eu vivi nesses últimos dias. Parabéns pelo seu talento, tenho certeza que suas palavras já confortaram muitas pessoas além de mim.

    ResponderExcluir
  11. tenho que adimitir ...
    exatamente isso ...

    ResponderExcluir
  12. Que linda carta de amor...
    Quanta sinceridade, quanta vontade de fazer o outro ver que aquelas montanhas são apenas miragens...

    Adorei seu lindo Blog!

    beijos

    ResponderExcluir

Se você tem medo do amor, você tem coragem do quê ?