segunda-feira, 28 de março de 2011

Bom.

Sempre tenho dificuldades imensas em arrumar títulos para meus textos, mas com esse foi diferente, resolvi falar de você e a primeira palavra que me veio a cabeça foi bom. Mas não bom de bonzinho, bobo e sim de puro, simples e de verdade.
Quando a gente se viu, eu ainda guardava comigo a dor e uma certeza que todos os caminhos só me levavam a sofrer. Quando você sorriu para mim, a primeira vez, os carros, os ônibus, as pessoas, tudo deveria ter parado para ver seu sorriso de mil kilômetros derretendo o gelo que eu queria impor ao meu coração que já havia dado mil provas de que só é fogo.
Minha primeira frase foi pra te avisar que eu estava ali rompendo barreiras do meus medos, que pra você soavam só como uma saída. Deu tudo certo, afinal o ponto era perto e seu sorriso tava ali comigo.
Eu tagarelava sem parar enquanto você ria das minhas piadas bobas e de repente tudo parou de novo, seu beijo era doce, quente, calmo e terno e parecia que a gente se conhecia a mil vidas, a gente ganhou paz e fugiu do mundo, implorando pro mundo fugir da gente.
Você falava e eu olhava pedindo aos meus olhos que gravassem teu jeito de levantar a sombrancelha e me beijar a bochecha com carinho enquanto eu contava algo também.
A palavra que me definia era aquecida, o que era incrível depois de meses amarrada e guardada num congelador, alguém só queria estar perto de mim.
Me sentia menina perto de você, e antes que isso pareça ruim, foi a melhor coisa que podia acontecer, eu era de novo leve, pura e cheia de esperança que existissem corações ainda preocupados em pulsar no compasso de outro coração e não de bater no de ninguém.
Te olhar era bom, mesmo sabendo que você não era meu, era bom ser só mais um casal feliz que anda de mão dadas ou toma café numa dessas cafeterias charmosas, falando de coisas igualmente doces.
Mesmo que a partir de agora as tardes não prometam uma ligação tua, mesmo que a história que eu queria seja só mais um roteiro que eu escrevo pra outra pessoa, você me mostrou que ainda existe homens de alma, que o mundo não está perdido, que o amor tem chance sim, e eu também.
Você existe e isso é tudo !



Para ler ouvindo : Do you love me still - The Kooks

5 comentários:

  1. Que texto perfeeito ! Me identifico muito... Você escreve muito bem. ;) beijinhos

    ResponderExcluir
  2. É impressionante como TODOS seus textos se encaixa em tudo q vivo (ou vivi, já nem sei mais). Esse então... é qse minha história. Tô amando tudo aki. Parabéns de verdade. bju Juliana

    ResponderExcluir
  3. Oi moça, voce escreve muito bem,
    fico feliz que ainda existam pessoas com o dom da escrita, ainda mais no nosso mundo .

    Lindíssimo texto!
    Beijo

    ResponderExcluir
  4. Nossa, descobri teu blog pelo twitter, e super amei os textos... Esse então me identifiquei muuuito!! Parabééns :D
    beeijo ;**

    ResponderExcluir
  5. sério, voce escreve MUITO bem! *-* adoro o seu blog! mt mt suceesso!

    ResponderExcluir

Se você tem medo do amor, você tem coragem do quê ?