quarta-feira, 1 de fevereiro de 2012

Verdade

Sempre que tínhamos nossas diferenças, me incomodava sua sinceridade, teu jeito de me dizer : não te quero hoje.
Foi necessário que a vida me mostrasse que palavras bonitas, qualquer pessoa diz. Ontem pra ela, hoje pra mim, amanhã pra outra. A roleta da mentira. O amor eterno de uma semana.  
Com a gente não, sempre foi tudo preto no branco, me perdoe o trocadilho infame, sendo você assim, tão da cor do pecado e eu, tua branca de neve.
Nunca tivemos mentiras, me lembro daquela vez que a luz acabou e eu fiquei sentada na grama olhando você e chorando, pois você nunca fez questão de mentir pra me ''privar'' de sofrer.
Quantas milhares de tentativas nós já tivemos ? Quantas vezes olhei pra você e sabia que nunca mais ia te sentir de novo ? 
Mas a vida dá tantas voltas, não é ? 
O mesmo destino que eu jurava ter me roubado de você pra sempre, me cuspiu de novo na sua vida. Quase que dizendo : 
- Ele não te fez nada, olhe pra mim, veja quantas mentiras... veja a mentira que dói e não a verdade que ofende.

O teu único crime, naquela época, foi não me querer. Ainda ouço você me dizendo que nós dois juntos, éramos a moral da história. 
Somos uma história sem fim, mas somos verdade. 

E depois de tantas mentiras, tantas falsas esperanças, eu olho pra você e vejo você sorrir, me dizendo que vai ser sempre a minha verdade. E da verdade, ninguém foge.


Não fugirei.


2 comentários:

Se você tem medo do amor, você tem coragem do quê ?